Veterinária | Rumo à EsFCEx

Dia a dia de um QCO de Veterinária

O VETERINÁRIO QCO

Dentre os militares do Quadro Complementar de Oficiais (QCO) do Exército Brasileiro (EB), o Veterinário talvez seja um dos mais versáteis no que diz respeito ao trabalho. Seus campos de trabalho envolvem: clínica/cirurgia de eqüinos e cães reiúnos (de propriedade do Exército) e silvestres, inspeção de alimentos, vigilância sanitária, instruções sobre animais peçonhentos, saúde pública, gestão ambiental, entre outros.

Os veterinários geralmente servem nos:

  • Base Logística (BLog), Depósito de Suprimento  (DSup) ou Batalhão de Suprimento (BSup), nos quais a Inspeção de Alimentos é a principal atividade. Nestas Organizações Militares (OM), há um Laboratório de Inspeção de Alimentos e Bromatologia (LIAB) que realiza as análises das matérias primas (animais E VEGETAIS!), por amostragem, que posteriormente são distribuídas para as OM de destino.
  • Regimentos de Cavalaria de Guarda (RCG), onde o foco é a clínica/cirurgia de eqüinos e indiretamente pelo manejo.
  • Batalhão de Polícia do Exército (BPE) e Companhias de Polícia do Exército (Cia PE), com ênfase na clínica/cirurgia de cães de guerra e também envolvidos nos treinamentos dos cães.

Mas também servem em OM singulares, tais como:

  • Academia Militar das Agulhas Negras (AMAN): que reúne todas as atividades descritas acima.
  • Escola de Sargentos das Armas: também reúne todas as atividades, exceto Inspeção de Alimentos.
  • Centro de Instrução de Guerra na Selva (CIGS), apoiando o curso de Guerra na Selva e atuando na área de animais silvestres.
  • Instituto de Biologia do Exército (IBEX), estando à frente da produção de plasma hiperimune para a produção de soros antiofídicos.
  • Coudelaria de Rincão: unidade que realiza a reprodução e distribuição de equinos para todas as unidades com efetivo previsto de tal espécie.

Apesar das particularidades de cada OM, há certas atividades comuns a todos Oficiais Veterinários (Of Vet): vigilância sanitária e saúde pública nos serviços de aprovisionamento (ranchos) e concessionários (cantinas, lanchonetes e afins), gestão ambiental, controle e qualidade de água da unidade, e etc.

Aqui na EsSA, a rotina na Seção Veterinária é bastante atribulada, com o expediente começando as 07h20 e terminando as 17h. Não tiramos serviço de Oficial de Dia (Of Dia), mas sim Veterinário de Sobreaviso (Vet Sbv), não devendo sair da guarnição e sempre atento aos telefones, pois a qualquer instante podemos ser chamados. As alterações, como costumamos chamar os problemas, são principalmente oriundos de cavalos com síndrome cólica e sem hora para acontecer, inclusive num sábado de madrugada.

Da Escola de Formação Complementar (EsFCEx) vim direto para a EsSA, onde assumi a Chefia da Seção Veterinária, onde além de todas as atribuições, também sou o responsável por toda a burocracia inerente: aquisição de bens de consumo ou permanentes, relatórios, documentos em geral e todo o planejamento, ou seja, um administrador.

 

Freddy Rodrigues Thomes – 31 anos

Natural de Vila Velha – ES;

Licenciado em Ciências Biológicas pela UFES (2004), Bacharel em Medicina Veterinária pela UFRRJ (2009).

Curso de Formação de Oficiais do Quadro Complementar – EsFCEx (2011).

Freddy Rodrigues Thomes

Freddy Rodrigues Thomes – 31 anos

Natural de Vila Velha – ES;

Licenciado em Ciências Biológicas pela UFES (2004), Bacharel em Medicina Veterinária pela UFRRJ (2009).

Curso de Formação de Oficiais do Quadro Complementar – EsFCEx (2011).

Rumo à EsFCEx