Arquivo da tag: depoimentos

Alexandre02

Estratégia de estudo – Alexandre Henrique – 5º Lugar

Olá pessoal!

Recentemente disponibilizei o depoimento da trajetória e o aspecto psicológico para a minha aprovação. Agora venho tratar especificamente sobre a preparação dos estudos para a prova de Informática da EsFCEx, concurso em que fiquei em 5º colocado neste ano de 2014.

Já havia experimentado algumas vezes a batalha de concurso público. Primeira grande vontade que tive, profissionalmente falando, era de me tornar militar. Mais por admirar o trabalho militares da Vila Militar do Rio de Janeiro do que por qualquer influência familiar. Gostava de ver o Hércules passando sobre a minha casa e lançando os paraquedistas no Campo dos Afonsos. Por mais singelo que seja o cargo que se busca geralmente a concorrência é muito grande, o que acaba exigindo uma boa preparação para os que realmente desejam a aprovação. Eu estudei sempre em escola pública, minha família não tinha recursos para que eu estudasse em boa escola. Fiz valer, sem perceber, bem cedo uma frase que ouvi recentemente de um grande professor da faculdade: “Pense grande e comece pequeno”. Com acesso a informação que temos hoje em dia percebo que as pessoas querem muito escolher as melhores profissões e salários, e isso está correto. Muitos já começam a faculdade querendo ser empresários, juiz, auditor….; só que muitas vezes não formam a base que é preciso para alcançar estes objetivos. A jornada acaba sendo longa demais, e o peso das dificuldades o sufocam. É claro que cada um tem um perfil, por exemplo, se a pessoa tem um sonho alto e recursos suficientes que lhe permitem seguir unicamente por um caminho, independente do tempo, isto será ótimo para ela. Ela poderá persistir até chegar onde quer. Acontece que a maioria das pessoas têm que pesar o custo de uma preparação com a vida que possuem, assim sendo, definir as prioridades da sua vida, e ser realista com os planos.

Falo isso porque não chegaria agora com as oportunidades e conquistas que estou tendo se não tivesse sido: Marinheiro – EAMES (2001), S-31 (2002 e 2003) e HNMD (2004); Sargento da FAB – EEAR (2005 e 2006), BAFL (2007-2012), DTCEA-GM (2013); Analista de TI da DATAPREV (2013 – 2014). Este foi o caminho que percorri e valorizo cada momento, tiro melhor que posso de tudo por que passei de bom ou de ruim.

Posso dizer que minha preparação começou com a reprovação da prova de 2013. Até então não tinha definido o que realmente queria. Quem é de TI sabe que são muitas as opções de concursos na nossa área. Muitos com excelentes salários, falo aqui de inicial acima de 10 mil. Isso é ótimo, valoriza a nossa área, a tendência é querer tentar todas as boas oportunidades que aparecem. Todavia entendo que aqueles que têm definido o que querem o quanto antes saem na frente na preparação e chegam mais rápido ao resultado positivo. Tal tarefa não é simples, pois muitas pessoas ficam pelo caminho e perdendo tempo precioso com dúvidas interiores por diversos fatores. Não obstante ter sido militar da MB e FAB por 12 anos, fiz pesquisa na internet sobre a escola de formação, sobre a carreira de oficial de TI no EB, os locais de trabalho, entre outros. Friso a aula inaugural gratuita do curso Cidade, falando sobre a carreira do QCO, e o site Rumo à EsFCEx com convenientes informações para a correta decisão. Portanto a minha escolha da EsFCEx como objetivo foi um passo sobremodo importante. Na ocasião li atentamente o edital, dando especial atenção a bibliografia e as exigências do concurso. Estabeleci também hábitos que me motivariam em momentos de fraqueza durante a preparação. Não se iludam, por mais que não se queira, esses momentos ocorrem. Preguiça, dificuldade de concentração, rotinas erradas, atrativos externos…, cada um deve reconhecer os seus pontos fracos e corrigi-los da melhor forma que encontrar. Não existe receita de bolo! Eu uso a fé em Deus para buscar forças e posso dizer que encontrei o caminho da superação desta forma.

Fiz análises constantes da melhor forma de aproveitar o tempo com os horários para estudar, intervalos, descanso, atividades físicas, o trabalho, atividades familiares, entre outras. Estava ávido por saber tudo que era preciso para aprovação. Sem demora adquiri o Curso Cidade, com as matérias de conhecimentos gerais, língua espanhol, e específica de Informática, por acreditar na proposta e pela repercussão das aprovações nos últimos anos. A tradição na preparação para a EsFCEx é importante para o direcionamento correto dos estudos. Procurei aproveitar bem as apostilas teóricas e de exercícios, as aulas e os simulados. Não tive cautela para investir nos principais livros da bibliografia, pois mesmo sem tê-los explorado por completo, dado a amplidão do conteúdo e o tempo limitado, foram bastante úteis na hora de recorrer para tirar dúvidas e aprofundar conhecimento. Estudei alguns tópicos da bibliografia de TI com o Ten. Emanuel, do Rumo à EsFCEx, que colaborou bastante para dominar o entendimento. Adquiri aulas temáticas do Provas de TI, por encontrar lá boas aulas de assuntos cobrados na prova. Considero uma estratégia de guerra. Montei a equipagem que precisava e, com tudo isso, fui em busca de que fazer jus ao investimento e encontrar a aprovação por excelência.

Assisti as aulas do curso EAD Cidade ao vivo quase sempre. É um desafio não dispersar nas aulas à distância. A qualidade das aulas ajudava bastante. Somente assisti gravado nas aulas de revisão, depois da anulação da prova. Eu já estava em uma fase intensa de resolução de questões, e revisões dos meus esquemas de estudo, mas mesmo assim não deixava de assistir, pois sempre tinha algo a acrescentar, principalmente em História e Geografia. Todas as matérias puderam ser bem aproveitadas para prova.

palestrasIngresso2As aulas do Rumo à EsFCEx foram importantes para abordar assuntos de TI. Fiz as aulas de Redes, Sistemas Operacionais e Organização de Computadores. Temas complicados, os quais quando se domina, sem dúvida, são o diferencial para o candidato de Informática. Ele desenvolveu um ótimo ambiente de ensino a distância. Sensacional o empenho do Ten. Emanuel no trato com seus alunos.

O site provas de TI disponibiliza aulas dos mais variados assuntos de informática de teoria e resolução de exercício, mas com focos nas bancas mais tradicionais. É uma boa fonte de conhecimento também, com professores com muita competência, além de terem um ótimo currículo de aprovação em concursos.

Livros da bibliografia que considero que valem a pena adquirir:

  • UML: Guia do Usuário
  • ITIL: Guia de Referência.
  • JAVA Como Programar
  • HELDMAN, Kim. Gerência de Projetos
  • KUROSE, James F., ROSS, Keith W. Redes de Computadores e Internet;
  • Gerenciamento de Serviços de TI na Prática: uma abordagem com base na ITIL.
  • Introdução à Organização de Computadores.
  • PRESSMAN, Roger S. Engenharia de Software
  • Certificação LINUX LPI rápido e prático:
  • STALLINGS, William. Redes e Sistemas de Comunicação de Dados:
  • Tanembaum: Organização Estruturada de Computadores; Redes de Computadores; Sistemas Operacionais Modernos;

Defini que estudaria por ciclos, de 24 horas, chamei de Jack Bauer, sendo Informática somando 15 horas e matérias gerais 9 horas, sendo distribuído da seguinte forma:

1h15

1h15

1h30

1h15

1h15

1h30

FC1

FC1

PORT

TC1

TC1

ESP

FC2

FC2

HIST

TC2

TC2

GEO

FC3

FC3

HIST

TC3

TC3

GEO

 

A divisão das matérias de TI foram feitas com base no estudo que estava fazendo para o mestrado, no qual eles dividiam os assuntos em Fundamentos da Computação (FC) e Tecnologia da Computação (TC), que acabei aproveitando. Estabeleci assim, de acordo com a relação dos assuntos de informática do edital:

FC1 – Microinformática;

FC2 – Técnicas de Programação;

FC3 – Sistemas de Computação;

TC1 – Teleprocessamento de Redes de Computadores;

TC2 – Análise, projeto de Sistemas e serviços de TI;

TC3 – Arquivos e banco de Dados;

Considerava este ciclo como de estudo efetivo, não constava de aulas dos cursos, nem os simulados. E sim, leitura de livros, apostilas, resolução de exercícios relacionados ao assunto estudado, marcações e elaboração de resumos no ambiente reservado para estudo. De início demorava para completar um ciclo, foi necessário com o tempo disciplinar todas as demais atividades. Cada vez mais me sentia estimulado a completar o ciclo Jack Bauer o quanto antes, estendendo meus próprios limites. Quanto mais a prova se aproximava, maior a motivação em fazer girar. Importante mencionar que o objetivo não é ficar engessado, conforme os assuntos iam se esgotando, eu ia balanceando com algum outro que faltavam mais. De forma que eu pudesse não só ter estudado o máximo do conteúdo, como também realizar as devidas revisões.

Havia um outro ciclo, não tão controlado, que chamo de Refresh, onde eu realizava a revisão dos resumos e de questões selecionadas mais relevantes. Este eu usava em diversos momentos do dia, como intervalo para almoço do trabalho, em filas, e por aí vai. Costumava deixar minha mente processando os assuntos já estudados em background, era aí que surgia a necessidade de olhar as revisões. No geral, seguia a sequência, mais para revisar todo o conteúdo, e não ficar fixo em algum assunto. O objetivo era realmente reter o conteúdo estudado para não errar na prova.

Considero isto o que me fez ter um salto de qualidade nos estudos: Todas as semanas, geralmente no sábado ou domingo, fazia um simulado. Excelentes os simulados do curso Cidade das matérias gerais, com correções dos professores durante a semana. Uma ótima oportunidade de autoavaliação e aperfeiçoamento. Todas as vezes complementava com as questões de TI da EsFCEx e QT-MB dos anos anteriores, quando se esgotaram, pegava questões do site questoesdeconcursos das bancas FCC e Cesgranrio, dada semelhança no estilo. Para quem não sabe, o bom do site questões de concursos é que muitas questões são debatidas pelos usuários. Feito isso, resolvia os simulados como se fosse a prova. Reproduzia o mais próximo daquilo que encontraria pela frente no dia D. Como prêmio posteriormente descansava, ficava com a família, ou qualquer outra atividade não relacionada aos estudos. Antes ainda de terminar o final de semana, conferia o gabarito e revisava as questões do simulado, buscando explicações para erros e dúvidas, pelo menos para as matérias de TI, pois de conhecimentos gerais sabia que os professores do Cidade corrigiriam a prova e sanariam as dúvidas. Para as questões de TI consultava muito, os livros, a internet ou alguém que soubesse; aproveito para agradecer ao Ten. Emanuel, do Rumo à EsFCEX, parceiro nestas horas. A correção me permitia traçar um diagnóstico pessoal dos assuntos que precisava revisar, ou estudar mais apropriadamente.

Procurei não descuidar da forma física e da alimentação. Em geral corria pelo menos duas vezes por semana, para o teste físico e também por considerar que ajuda nos estudos. Encontrava algum tempo pra fazer isso, mesmo que precisasse acordar mais cedo.

A concentração e a disciplina podem ser desenvolvidos, não é de hora para outra. O mais importante é manter o foco no objetivo acreditando que é capaz. Não desperdice forças, saiba que depois da aprovação toda a dor da luta não é comparável ao sabor da conquista, pois é um vencedor e todos verão o que é capaz de fazer.

Espero ter ajudado. Fiquem com Deus! Sucesso!

Familia

FÁBIO DINIZ- 4° COLOCADO DE ADM – EsFCEx – 2014

Olá futuros Tenentes alunos!

FabioDinizMeu nome é Fábio, sou natural do Rio de Janeiro, mas sirvo em Brasília desde quando me formei na Escola de Especialista de Aeronáutica, em 2007. Esse ano (2014), foi a primeira vez que fiz o concurso da EsFCEx e consegui ser o quarto colocado de ADM.

Estou dando este depoimento para mostrar a todos aqueles que almejam a uma vaga neste concorrido concurso um pouco da minha caminhada até a aprovação.

Tomei conhecimento do concurso através de alguns colegas de trabalho e a minha primeira ação foi buscar na internet histórias de candidatos aprovados em concursos anteriores da EsFCex para ter noção de como começar meus estudos. Foi então que achei o depoimento do 01 de ADM de 2013, Josué. Posso dizer-lhes que tentei seguir cada passo e pôr em prática cada conselho dele.

Fiz meu planejamento de estudos, sempre levando em conta as horas que eu tinha disponível para o estudo, tendo começado a estudar para o concurso dia 05 de Janeiro deste ano (Lembro até da hora, 13:30).

Por trabalhar de 08:30 às 16:30, da segunda à sexta, tive que utilizar da melhor maneira possível meu tempo livre. Acordava uma hora mais cedo que o habitual, para ganhar tempo de estudo. Na hora de almoço e nos deslocamentos casa-trabalho, trabalho-casa, sempre buscava estudar. Tentava, dessa forma, manter uma base de 8 horas diárias de estudo.

FamiliaPosso dizer que este foi um ano difícil, um ano de renúncias e de perseverança. Mas, quando vi meu nome na lista de aprovados/classificados, todo meu esforço valeu a pena. Pois sempre digo que concurso público é mérito. Quem se esforça, estuda e persevera mais leva.

Agradeço a Deus, a minha esposa e filhos e ao meu professor e mestre Edson que sempre me motivou e acreditou no meu potencial. Entendo que ninguém consegue nada sozinho e sem dúvida o apoio daqueles que citei anteriormente foi fundamental para alcançar meu objetivo.

 

FÁBIO DINIZ- 4° COLOCADO DE ADM

DSCF6888

Mônica Oliveira Ferreira – 6ª Colocada em Enfermagem – EsFCEx

Meu nome é Mônica e me formei em enfermagem pela Universidade Federal de Juiz de Fora em 2006. Nessa época, distribuí diversos currículos pelos hospitais de Juiz de Fora e não fui chamada pra nenhuma entrevista.

O prefeito da minha cidade se interessou em me contratar, pois seria criada uma nova Equipe de Saúde da Família. Comecei a trabalhar em abril de 2006, coordenando essa equipe.

Em 2007, comecei a namorar um Sargento do Exército. O namoro foi-se firmando ao longo dos anos. Ele trabalhava em Juiz de Fora e dava pra nos vermos aos finais de semana.

Tínhamos a intenção de casar, mas sempre ficava preocupada com o fato de ele ser transferido e eu ter que abandonar meu emprego (era contratada) sem expectativas de serviço para onde ele pudesse ir. Nos casamos em 2012.

Sempre tive vontade de ser militar. Na minha família tenho 2 tios que são aposentados da Polícia Militar.

Em 2008, tentei o concurso para 1 vaga de enfermeira da PMMG. Fiquei em 35º lugar.

O Exército me despertava vontade de ingressar no meio militar, porém as provas, na minha cabeça, eram extremamente difíceis e duvidava do meio potencial. No entanto, seria a única forma de acompanhar meu companheiro com um emprego certo.

Em maio de 2009, resolvi me aventurar nesse mar desconhecido do concurso. Comprei apostilas de um curso conhecido, mas fui reprovada.

No ano seguinte, 2010, comecei a estudar na primeira segunda-feira do ano (e fazia isso nos anos subsequentes), mas trabalhava 8 horas por dia e o tempo era curto. Me dediquei ao máximo, abri mão de festa e feriados e estudei. Nesse ano, fiquei em 12º lugar, mas não dentro do número de vagas. Isso me deu forças pra acreditar que poderia conquistar a minha tão sonhada vaga.

Muitos queriam que eu tentasse outros concursos, pois esse era muito difícil, mas eu acreditava em mim e em Deus. Eu só estudava pra fazer esse concurso, queria ele e comecei a acreditar que tinha potencial para conseguir.

Em 2011, recomecei em janeiro. Estudei no tempo que tinha livre. Chegava em casa, cochilava 1h e estudava todos os dias. Resultado: não consegui mais uma vez. Fiz 80% da prova de enfermagem, mas a danada da história me tirou do páreo.

Em 2012, de novo estava eu lá, com meus livros e minhas apostilas. Me matriculei num cursinho on line que me ajudou muito. Tinha fé que minha hora iria chegar. Existiam apenas 2 vagas e eu passei, mas não dentro delas. Fiquei em 6º lugar.

Não desisti…

Em 2013, minha vida passou por altas turbulências. Perdi meu emprego, porque a política mudou na minha cidade. Havia financiado uma casa, tinha carro pra pagar e as contas da casa. Entrei em desespero e sabia que deveria continuar minha luta porque Deus me seria fiel. Pedi incessante a ele que me ajudasse. Tinha crises de choro em cima dos livros, mas eu continuei.

Só eu e Deus sabemos o que passei. Meu marido foi transferido para o Rio de Janeiro e eu ficava quase a semana toda sozinha. Minha mãe comprou meu livros, minha família e meu marido me ajudaram nas despesas da casa e consegui ter paz para estudar.

Acordava todos os dias às 5:30am. Malhava e voltava correndo pra estudar. Foi um ano desafiador.

Fiz a prova em condições não muito boas. Não havia pregado os olhos na noite que antecedeu a prova. Isso nunca aconteceu comigo. Sempre fiz provas com toda tranquilidade do mundo. Mas dessa vez, a situação era outra. Eu precisava, necessitava imensamente passar.

Voltei pra casa desolada, chorando e acreditando não ter conseguido mais uma vez. Como sempre, meu marido ao meu lado tentando me acalmar… Minha mãe, com aquele pressentimento de mãe, sempre dizia que algo lhe falava que eu havia conseguido.

Mas Meu Deus foi tão perfeito (Ele é perfeito!) que fez tudo como deveria ser nessa jornada de 5 anos. Só depois a gente entende! Fui aprovada em 6º lugar na EsFCex.

Posto o meu depoimento para que aqueles que têm um sonho, nunca desistam dele. Lutem! Só Deus sabe a hora certa. Ele escreve certo, por linhas certas! Isso é a mais pura verdade, a gente que nem sempre consegue entender de imediato.

Repito um trecho do meu agradecimento postado no facebook a todos que me ajudaram:

O ano de 2013, aparentemente, não começou muito bem para mim. Fiquei desempregada, com uma casa pra pagar, contas e o desespero bateu à minha porta. Foi um ano muito difícil. Chorei muito, sofri muito, cheia de incertezas sobre como terminaria meu 2013.
Me dediquei a um sonho, pelo 5º ano… Estudei, estudei e estudei muito. No entanto, meu Deus não me desamparou um só instante.
A vitória estava a caminho e não poderia deixar de agradecer a todos que compartilharam essa luta comigo. Meu marido Marco Antônio Faria, que sempre esteve ao meu lado, quando eu sorria e quando eu chorava, me animando, me motivando, dizendo que eu conseguiria, à minha amada mãe Graça Tavares que veio financiando livros e mais livros desde de fevereiro e que minha vida inteira se mostrou o apoio diante de todos os meus obstáculos. Te amo infinitamente, minha linda! Meus tios, meu pai, meu irmão que me ajudaram a honrar meus compromissos e ao Grande Tio Jorge Tavares que não relutou um só segundo no momento em que me vi desesperada e com medo de perder minha casa. Também não posso deixar de agradecer à família do meu esposo, amigos, primos que oraram e acreditaram junto comigo e aos meus tios que me ajudaram nos tempos de faculdade.

 Mas meu agradecimento maior vai para o Meu Deus que colocou em meu coração um sonho difícil, de lutas, mas não impossível. Agradeço pela aprovação e por ter me dado essa família maravilhosa, fenomenal – não poderia ser dádiva mais que generosa, talvez até mais do que mereço.

 Obrigada Senhor e a todos que torceram e acreditaram que eu poderia chegar lá – IPM amigos que trabalharam comigo esses 6 anos, vizinhos, aos amigos que de coração me querem bem e me desculpa se esqueci de alguém, pois são muitos… Amo todos! E aqueles que desejaram e fizeram de tudo pra que eu fracassasse, felizmente, SÓ LAMENTO TER DECEPCIONADO! Pois o Senhor se fez meu escudo, meu amparo e minha fé, me fazendo prosseguir e conseguir…

NUNCA DESISTA DE SEUS SONHOS!

Mônica Oliveira Ferreira – 6ª Colocada em Enfermagem – EsFCEx

lilian

Ana Lílian Lopes – 1ª Colocada em Prótese Dentária- Odontologia – EsFCEx

Antes de tudo, me desculpem a demora em escrever este depoimento, estava esperando a conclusão de todas as etapas do concurso.

Estou muito feliz em poder compartilhar minha jornada e vitória com vocês, pois já estive do outro lado e sei o quanto é importante um depoimento de motivação.

Bem, meu nome é Ana Lílian, tenho 25 anos, moro em Natal–RN. Sou dentista formada há 2 anos e terminei meu curso de especialização em prótese dentária em novembro do ano passado. Fiz o concurso da Esfcex pela primeira vez nesse ano de 2013 e obtive a primeira colocação na minha área (Prótese Dentária- Odontologia). Falando assim até parece que foi muito fácil, mas não foi.

Meu interesse nas forças armadas teve início logo após minha formatura no final de 2011. No entanto, a única coisa que fiz no ano de 2012, foi decidir que queria prestar concurso para aeronáutica, então comprei e li apenas um livro; também fiz um cursinho intensivo de português de 3 meses mas estudava muito pouco, estava completamente sem estímulo e foco.

Até que no início de 2013, conversando com alguns colegas, percebi que o concurso para o Exército era um pouco mais justo em termos de avaliação, pois não havia prova prático-oral no processo, então decidi fazê-lo mesmo sabendo que era mais difícil pois a prova incluía assuntos de História, geografia, português e inglês, os quais há muito tempo não estudava. No entanto, em janeiro de 2013, estava no meio do curso de especialização com o TCC pra fazer, então resolvi adiantar o TCC até fevereiro e em março começar minha rotina de estudos. E foi o que fiz.

A primeira coisa que me motivou foi este site, pois li praticamente todos os depoimentos e percebi que pra passar no concurso da Esfcex teria que me dedicar 100%, com foco, sabendo que teria que abdicar de muita coisa nos próximos meses. Ao mesmo tempo que tinha isso em mente, tinha também a certeza que a vitória chegaria um dia, nem que isso levasse 11 anos. Acho que antes de tudo, você tem que confiar em si mesmo e em Deus, tendo a certeza que nunca desistirá.

Segunda coisa que indico fazer, depois de vasculhar tudo do site “Rumo a Esfcex”, é ler o livro “COMO ESTUDAR PARA CONCURSOS” de Alexandre Meirelles. Pode parecer perda de tempo, levando em consideração a quantidade de livros que temos de ler, mas acreditem, vale muitooo a pena. Só me arrependi em não ter lido antes, pois só tive conhecimento dele em abril. Nem precisa ler todo, mas nele tem muitas dicas de como fazer resumo, como revisar, sobre sono, enfim, comprem e leiam!

O terceiro passo foi organizar meu tempo, pois tinha que trabalhar, fazer minha especialização que era quinta (tarde e noite) e sexta o dia todo de 15 em 15 dias, e além disso, não podia deixar de frequentar a academia. Até maio, ia a academia de 5:30h da manhã e trabalhava de segunda a quarta o dia todo, mas chegava em casa morta de cansada. Por isso, resolvi aceitar uma proposta de trabalho no interior, pois lá trabalharia de segunda a quinta até no máximo 1h da tarde, então teria tempo pra descansar e estudar durante a tarde e noite. Foi assim que fiz de junho a setembro. Trabalhava de manhã até umas 12:30h, descansava um pouco e estudava até umas 11 horas da noite, só parava pra comer. Nos dias que tinha especialização não tinha como estudar, mas aproveitava o tempo de atendimento para ouvir os áudios que gravava dos meus resumos. Os finais de semana estudava direto, parava só pra ir à academia e à missa aos domingos. É claro que de março a setembro tiveram dias que não dava pra estudar, como casamento de amiga, formatura do meu irmão, dentre outros. Mas a verdade é que consigo contar e lembrar os dias em que não estudei no final de semana. Todo segundo era tempo pra estudar. No carro ou no ônibus ia ouvindo meus resumos gravados.

Depois de saber como estudar, tive que arcar com os recursos, ou seja, comprar os livros. Comprei quase todos os livros da bibliografia para Prótese, os que eu não comprei eu tirei xérox e pegava também livros na faculdade de odontologia. Fiz resumos de todos baseado nos assuntos do edital. E tenho certeza que isso foi um diferencial, pois nos dois últimos meses só fazia praticamente revisar os meus resumos, o que me deu muita segurança pra fazer a prova. Vale a pena comprar os livros e seguir ao pé da letra o que tem no edital, decorar tudo, todo detalhe é importante, pelo menos na área de odontologia. É tanto que comprei um livro que me custou 450,00R$, pra cair apenas uma questão na prova, questão essa que só teria como acertar se tivesse lido o livro. Na parte de conhecimentos gerais, comprei o Boris Fausto de História do Brasil e assisti suas vídeo aulas. Pra Geografia li “Geografia Geral e do Brasil”- Marcos A Coelho e Lygia Terra; li alguns capítulos do Sene; Geografia do Brasil de Ross li todo, e Aziz AB`saber li alguns capítulos. Para inglês li toda a gramática de Raymond Murphy. Português eu estudei pela gramática do meu Professor Silvio Augusto, que foi meu professor do cursinho intensivo que falei acima; também assisti a vídeo aulas do youtube.

Sobre a divisão do tempo para os assuntos, fazia o seguinte: na semana estudava a parte de específicas e no final de semana estudava gerais. Mudei essa rotina só no último mês de estudos pois tive que revisar todos os assuntos. Fiz isso levando em consideração que a prova de conhecimentos específicos tinha peso 3 e seria esse o diferencial dos outros candidatos. Deixava pra fazer questões no fim da noite, quando já estava cansada e com sono, pois era até uma maneira de medir meu grau de atenção, além disso, ajudava a despistar o sono.

Infelizmente não pude tirar férias no trabalho, mas dei um jeito de revisar tudo várias vezes. Nos dois dias antes da prova fiquei revisando direto só prótese, até minha cabeça não aguentar de tanto assunto. Não estou dizendo que isso é certo, mas pra mim funciona, me dá até mais segurança durante a prova. Quem ler o livro do Alexandre Meirelles entenderá a importância de se revisar para poder fixar o assunto.

No final de toda essa jornada, consegui fazer 22 das 30 questões de conhecimentos gerais (2 em história, 6 em geografia, 7 em português, 7 em inglês) e 36 das 40 de conhecimentos específicos. Atribuo minha nota baixa em história por ter lido apenas um livro, pois sempre gostei muito de história então acabei me confiando. Já geografia, que nunca gostei, resolvi ler mais livros e obtive um melhor resultado. Sobre inglês, já conclui um cursinho de idiomas há pouco mais de dois anos, mas o foco do concurso é um pouco diferente, então não se confie nisso. Por conta disso, com uns dois meses pra prova, comecei a estudar inglês todos os dias pela gramática que falei, reservava 40 minutos do meu dia pra estudar só inglês, pois tem muita coisa pra decorar na gramática. Na parte de conhecimentos específicos, duas questões, das quatro que errei, foi de um capítulo que não havia estudado por falta de atenção mesmo. Ou seja, seguir o edital é crucial, todos os temas devem ser explorados minunciosamente.

Então gente, não tem segredo, é estudar. Cada um tem um ritmo diferente, assim como habilidades e defeitos diferentes. Dificuldades e obstáculos aparecerão mais do que nunca na sua vida, e acreditem, passei por muitos nesse período mas acho que não vale a pena citá-los, pois cada um tem os seus. Mas não usem esses obstáculos como desculpa pra não estudar ou passar. Sempre lembre dos pontos ao seu favor e esqueça a concorrência, você que tem de se superar a cada dia.

Agradeço muito a Emauel Peixoto por ter criado este site, pois foi a partir dele que despertou o interesse em estudar pra Esfcex. Também faço meus agradecimentos ao meu colega Júlio César (Primeiro colocado em Odontolofia EsFcex 2012), o qual me serviu de inspiração e muitooo me ajudou durante o ano passado, sempre muito prestativo. Agradeço aos meus familiares e amigos, que sempre me apoiaram incondicionalmente.

Antes de finalizar, quero dizer que nada disso seria possível sem a fé em Deus, é dele toda glória, e foi a ele que pedi todos os dias para me dar força para estudar, sempre pedindo que fosse feita sua vontade. Então futuros colegas, Deus opera milagres em nossa vida sim, basta que façamos nossa parte. Não desanimem, não desistam, acreditem em Deus e em vocês!

Ana Lílian Lopes